Alfabetização Precoce

Graziela Baron Vanni

Entendemos que o processo ensinar – aprender refere-se a pessoas que se relacionam, sendo que a forma com que isto acontece é de extrema importância. Indo mais além, educar e alfabetizar podem ser considerados uma arte que trás como conseqüência à realização de um sonho, tanto do professor através do seu desempenho e motivação quanto do aluno através de sua curiosidade e força de vontade.

Podemos dizer que esta trajetória não é tão simples quanto possa parecer, já que dentro deste processo encontramos variáveis que podem dificultar o sucesso da alfabetização.

Descrevemos alguns exemplos:


Maturidade do aluno para alfabetização: segundo algumas linhas de estudos a maturidade se concretiza por volta dos 6 ou 7 anos.


Desenvolvimento das inteligências múltiplas: Segundo Gardner, o ser humano é dotado de inteligências múltiplas (que precisam ser igualmente trabalhadas e desenvolvidas) que incluem as dimensões lingüísticas, lógicomatemático, especial, musical, cinesticocorporal, naturalista,
intrapessoal e interpessoal.

Condições físicas do aluno: seja problemas de desnutrição ou alguma doença física / orgânica que podem interferir na alfabetização.

Estado emocional do aluno: Já que estão presentes neste processo sentimentos de medo, raiva,
frustração, confusão, preocupação ou aborrecimento.

Como podemos perceber, é preciso considerar a criança como um todo para então estimulala adequadamente, respeitando deste a sua idade até a condição emocionalmente para desenvolver o processo de alfabetização. Caso contrário, ao explorarmos um só campo da vida da criança (como ex. a inteligência lingüística), deixaremos os outros campos deficitários, como conseqüência, poderemos encontrar problemas que vão desde uma simples resistência ao aprendizado a um transtorno emocional severo. Além disso, uma criança alfabetizada precocemente poderá vivenciar cansaço, desmotivação, desinteresse, violência para com os seus colegas e stress no momento que passar pela série adequada da alfabetização.

Precisamos enfatizar que na educação infantil a criança além de precisar, necessita brincar, já que essa pratica assume um papel importante na construção do conhecimento e no desenvolvimento infantil. Brincando a criança explora o mundo a sua volta, descobre e compreende a si mesma e seus sentimentos, além de formar a representação da linguagem escrita através de gestos, fazdeconta, que são encontrados na arte do brincar.


Enfim cabe aos pais e educadores, não permitir que esse mundo imediatista invada a desenvoltura natural das crianças, já que ainda que nossa realidade seja de constante transformações, necessitamos de uma educação especial a todos.

Graziela B. Vanni de Moraes
Diretora da Clinica Qualidade de Vida
Psicóloga cognitivista comportamental CRP 06/68515

formatação para inclusão em referências bibliográficas

Vanni, Graziela Baron . Alfabetização Precoce. Em: <http://qualidadevida.psc.br/artigos/11>. Acesso em: 14/12/2017.